PILATES AJUDA PACIENTES COM CÂNCER

Você sabia que a prática de atividade física pode reduzir em até 30% os riscos de câncer? E os exercícios podem ser ainda mais eficientes no tratamento da doença. Eles ajudam a diminuir as dores provocadas pelos efeitos colaterais do tratamento, além de atenuar sintomas comuns dos pacientes, como perda de peso, atrofia muscular e fraqueza.De acordo com a médica especialista em Medicina do Exercício do Espaço Stella Torreão, Ana Beatriz Raed, fazer exercícios físicos melhora a resposta imunológica dos pacientes com câncer, favorecendo o tratamento. “A atividade também contribui para a manutenção da força muscular e dos níveis de energia, o que ajuda na rotina diária do paciente, nos períodos de sono e descanso e nos momentos de lazer”, explica Beatriz. Além de preservar a capacidade física e ajudar a retomar as atividades diárias, a médica afirma que os exercícios podem ser recomendados para a recuperação da mobilidade e diminuição de complicações em casos de cirurgia. Os pacientes oncológicos têm algumas limitações que precisam ser respeitadas na rotina de atividade física. Isso vai depender do estágio da doença e do estado psicológico, mas um dos principais obstáculos é a fadiga crônica. ?No entanto, o que vai diminuir esse sintoma e outros efeitos comuns da doença é exatamente a prática regular de exercícios?, garante Beatriz.
Uma das atividades recomendadas para os portadores de câncer é o Pilates. Ele tem uma série de benefícios que podem ajudar no retorno da funcionalidade de cada paciente. Segundo a fisioterapeuta do setor infantil da AACD, Luciana Ruas, o trabalho de respiração é fundamental para aumentar a capacidade respiratória dos pacientes. “O Pilates trabalha também o posicionamento adequado da pelve, cintura, ombros e cabeça, necessário para o ganho de força, flexibilidade e melhora na postura do paciente”, destaca Luciana.O paciente com câncer busca na atividade física não apenas benefícios na mobilidade, mas a melhora na sua qualidade de vida. O exercício tem o poder de melhorar a autoestima, combatendo a tristeza, a ansiedade e a depressão. “Com o Pilates eles relatam melhora na circulação e no funcionamento intestinal, mais equilíbrio, coordenação e resistência e uma sensação revigorante. Isso os torna mais leves, menos cansados e mais motivados para o tratamento”, relata a fisioterapeuta.Qualquer paciente pode praticar o Pilates, sempre com liberação médica. Luciana recomenda as aulas individuais. No solo ou em estúdio, os acessórios e equipamentos facilitam os exercícios, que podem ser adaptados para as limitações de cada aluno.