ESPECIAL DIA DAS MÃES: ELIANE FELISBINO

Se criar filhos em geral dá trabalho, imagine criar três filhos durante um tratamento contra o câncer. “Mãe não tem limite, é tempo sem hora…” disse certa vez o poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade. Essa relação de afeto é algo que instiga não só na literatura. Na vida real, há quem diga que a maternidade concede uma força especial ao sexo feminino, capaz de ajudar a superar até mesmo doenças. 

É nos filhos que algumas mães buscam inspiração para vencer o câncer e continuar vivendo

 Sou Eliane Felisbino, tenho 43 anos, sou formada em Sociologia. Tenho três filhos: Higor com 23, a Valentina 6, Murillo com 7 anos. Obtive diagnóstico com câncer de ovário em 2015. Desde que descobri, luto incansavelmente, já fiz 6 cirurgias, 28 quimioterapias e 32 radioterapias. O câncer não me tirou alegria de viver, sempre fui uma pessoa alegre de bem com a vida. 

 Nos últimos três anos, enfrentei idas e vindas do hospital. Hoje, minha família é franca em dizer que pensou que não ia aguentar. Passei por desafios que a maioria de nós não vai passar durante uma vida. 2017 foi um ano muito difícil, ano de muita superação por conta da descoberta de uma metáfase. Houve uma sugestão dos médicos para tratamento paliativo já que quimioterapia não estava obtendo o resultado esperado, mas eu não desisti, procurei mudar toda alimentação. Eu venci o câncer de ovário, sem sombra de dúvidas! 2018, este ano memorável, estou só em acompanhamento no Hospital do Amor em Barretos. Pelos meus filhos nunca nem pensei em desistir. Dois deles são muito pequenos, então uma força chamada FÉ me fez acreditar que eu poderia vencer.

Hoje estou aqui escrevendo na semana do dia das mães para Quimioterapia e Beleza, com muita satisfação. 

 Homenageando todas as mães, principalmente aquelas que, como eu, enfrentam o câncer pelos seus filhos e família. Mães são criaturas divinas destinadas por Deus a nos proteger de qualquer mal que possa nos atingir!