Tratamento contra o câncer de mama pode causar ressecamento vaginal

Durante o tratamento, a paciente oncológica pode sentir diversos efeitos adversos, dentre eles o ressecamento vaginal que, se não for realizada a devida hidratação da região, pode ocasionar lesões e outras complicações.

A maioria dos casos é recorrente, pois todos os tipos de tratamento da doença que causam alterações na função ovariana, como a anexectomia, radioterapia e quimioterapia, resultam em um quadro chamado atrofia vaginal. A complicação pode impactar diretamente no desejo e vida sexual da mulher.

A ginecologista Dra. Ana Carolina Gabina Lazari explica: Quando o epitélio vulvovaginal (tecido que reveste a vulva e a vagina) encontra-se mais fino e não existe lubrificação, é bastante possível o surgimento de úlceras e fissuras locais, que causam dor durante a relação sexual. Assim, o vaginismo – espasmos dolorosos da musculatura vaginal – pode ocorrer, por causa do estado de ansiedade pela expectativa de dor durante o ato.

Lubrificante X Hidratante Vaginal

Na busca por soluções, mulheres em tratamentos oncológicos acabam recorrendo aos lubrificantes íntimos que, apesar de trazer uma solução momentânea durante o ato sexual, não proporciona um resultado duradouro. O hidratante vaginal, por sua vez, é um tratamento que restaura, de forma natural, a umidade local, já que são livres de hormônio, podendo ser usados independente do ato sexual e promovendo uma ação de longa duração.